Como funciona a regra de ajustes negativos na carga de pesos do procurador no SAJ Procuradorias?

Atenção: conteúdo direcionado ao suporte técnico.

Se você está aqui, é porque, muito provavelmente, já leu a primeira parte deste conteúdo. Não leu ainda? Tem interesse em saber como ajustar no sistema os pesos negativos do procurador? Leia nosso artigo: Como configuro ajustes negativos no peso de um procurador no SAJ Procuradorias?

Nesta segunda parte, vamos realizar uma análise prática da regra de ajustes negativos:

 

Todos os nomes utilizados neste material são fictícios.

 

Fórmulas utilizadas:

Probabilidade Geral (PG): 100/TP

• 100 corresponde ao percentual total (100%)
• TP é o total de procuradores que participam do sorteio.

Probabilidade dos procuradores com ajuste (TPA): (1 + (VA/100)) x PG

• VA é o valor do ajuste configurado para o procurador
• PG é a probabilidade geral

Probabilidade dos procuradores sem ajuste (TPSA): (100 - TPA) / TPSA

• TPA é a soma da probabilidade dos procuradores com ajustes
• TPSA é a quantidade dos procuradores sem ajuste.

 

Para ficar ainda mais por dentro desse assunto, leia o artigo Como o sistema identifica os procuradores que participarão da distribuição automática no SAJ Procuradorias?

Agora vamos colocar as fórmulas dentro de um contexto para que você compreenda melhor:

Uma chefia é composta por cinco procuradores, todos sem ajuste. Supondo que no grupo de distribuição fictício Ações Ordinárias, temos a seguinte distribuição de pesos:

regra_ajustes_negativos_01.png

Nestas condições, entrou um novo processo que precisa ser distribuído entre estes procuradores, pois todos participam da distribuição automática. Vamos às regras:

• Identificando os procuradores aptos a distribuição:

  • menor peso sem ajuste: 29
  • valor máximo de diferença: 0 – ou seja, nenhum procurador pode ter mais peso que outro;
  • eliminados do sorteio os procuradores que possuem peso maior que a diferença máxima – ou seja, procuradores que possuem peso maior que 29;
  • resultando em dois procuradores eliminados do sorteio, restando:

regra_ajustes_negativos_02.png

Os procuradores 1, 2 e 4 são os que estão aptos a participarem do sorteio.

 Agora, vamos calcular as probabilidades desses procuradores:

PG: 100/TP  100/3 = 33,33

Como, neste caso, não há ajustes envolvidos, a probabilidade de cada procurador em receber o processo ficou em 33,33%. Portanto, temos o seguinte cenário para a distribuição deste processo nesta banca:

regra_ajustes_negativos_03.png

Agora vamos imaginar uma outra situação: supondo que, dentre os três procuradores participantes do sorteio, o contemplado tenha sido o procurador João Andrade, portanto, seu peso aumentou de 29 para 30. Vamos considerar este cenário para o exemplo da próxima distribuição:

Contexto: após esta distribuição, o Procurador-geral nomeou a procuradora Carla de Souza como Chefe. Ela continuará participando das distribuições e atuando em processos, porém deverá ter probabilidade menor de recebimento que os demais, devido as suas outras tarefas de chefia. Então, aplicou-se a esta procuradora um ajuste negativo de -40%. Assim sendo, agora temos o seguinte cenário:

regra_ajustes_negativos_04.png

Nestas condições, entrou um novo processo que precisa ser distribuído entre estes procuradores, pois todos participam da distribuição automática. Vamos às regras:

• Identificando os procuradores aptos a distribuição:

  • menor peso sem ajuste: 29;
  • valor máximo de diferença: 0  ou seja, nenhum procurador pode ter mais peso que outro;
  • eliminado do sorteio os procuradores que possuem peso maior que a diferença máxima  ou seja, procuradores que possuem peso maior que 29;
  • resultando em três procuradores eliminados do sorteio, restando:

regra_ajustes_negativos_05.png

Os procuradores 1 e 2 são os que estão aptos a participarem do sorteio.

Agora vamos calcular as probabilidades desses dois procuradores:

PG: 100/TP → 100/2 = 50
Então, temos como PG = 50.

 TPA: (1 + (VA/100)) x PG

Procuradora Carla: (1+(-40/100)) x 50 = 25

 TPSA: (100 - TPA) / TPSA → (100 - 25) / 1 = 75

 Após aplicar as regras e cálculos, temos o seguinte cenário de probabilidades:

regra_ajustes_negativos_06.png

Como é possível perceber, com o ajuste negativo, a procuradora Carla de Souza tem uma probabilidade menor de receber o processo, mas ainda tem a possibilidade de ser sorteada na distribuição.

Essa forma de cálculo do ajuste negativo por probabilidade é a mais utilizada pelas Procuradorias, mas ainda existe a possibilidade de ajuste negativo pela quantidade de pesos do procurador. Dessa forma, o ajuste passa a ser aplicado sobre a quantidade de pesos, em vez de reduzir a probabilidade do sorteio para distribuição. Essa funcionalidade é habilitada por meio de parâmetro no SAJ/ADM.

Fórmula utilizada:

PI = MPSA – VA%

• PI = Peso Ideal
• MPSA = Menor peso dentro os procuradores sem ajuste
• VA = Valor do Ajuste

Exemplo prático:

regra_ajustes_negativos_07.png

• Menor peso sem ajuste: 29
• Calculando o Peso Ideal para a procuradora Carla com peso negativo: PI = 29 – 40% → 17

A procuradora Carla de Souza não participará da distribuição automática, pois está acima do peso ideal de processos, que seria 17.

Resumindo, para o peso negativo existem duas formas de cálculo, cabe a Procuradoria decidir qual atende melhor a sua necessidade. Uma vez escolhida a forma de cálculo, esta será aplicada para toda a Procuradoria.

Créditos - Equipe SAJ Procuradorias
Autoria: Denise Santin Ebone
Adequação e revisão: Josiele Rozales Ramis

Esse artigo foi útil?